Artigo

Pais fiquem atentos, a perversidade infantil existe!

Pais fiquem atentos, a perversidade infantil existe!

23 de outubro de 2018

Pais fiquem atentos, a perversidade infantil existe!

Pequenas maldades e mentiras são absolutamente comuns na infância. De 100%, cerca  de 97% têm comportamento normal e,ao amadurecer, saberão diferenciar o certo do errado e desenvolverão a empatia.

Mas e os 3% que faltam? Serão obrigatoriamente personalidades antissociais na vida adulta, seres sem empatia? Os especialistas são taxativos ao afirmar que não se cura transtorno de conduta. Ele será no máximo, amenizado se tratado a tempo e houver sempre algum tipo de vigilância. Na maior parte dos casos, porém, isso não acontece. E o resultado de ninguém ter notado esses sinais durante a infância aparece de forma trágica. Essa criança poderá ser um político corrupto, um fraudador, até um torturador físico ou emocional, chegando a um assassino em série, dizem especialistas da área.

Um obstáculo para o tratamento de crianças com sinais de transtorno de conduta é o próprio tabu da maldade infantil. O senso comum afirma que as crianças são inocentes.

Aos pais que tentam conter uma perversidade excessiva de seus filhos resta lembrar que ninguém vai conseguir ensiná-los a amar. O que se pode fazer é moldá-los de tal forma que tenham medo de desrespeitar as regras da convivência em sociedade.

Indícios de perversidade Infantil.

- Mentiras cada vez mais elaboradas;

- Tentativas de manipulação pela via emocional ou por chantagens;

- Roubos;

- Maldade sistemáticas com irmãos e amigos, sem sinais de culpa ou arrependimento;

- Gosto por experiência mórbidas com animais;

- Nenhuma tolerância a frustração;

- Explosão ao ser contrariado;

- Mania de culpar os outros por seus erros;

- Egocentrismo exacerbado;

- Pouca ou nenhuma mostra de solidariedade;

- Dificuldade em manter amizades reais;

- Arrogância extrema até com os pais;

- Demonstração de prazer ao ferir ou humilhar o próximo;

- Atos de vandalismo.

Fonte: Revista Época

VOLTAR