Artigo

Já conversou com seu filho hoje?

Já conversou com seu filho hoje?

15 de abril de 2019

Muitos dos problemas na relação entre pais e filhos surgem pela falta ou pelas falhas de comunicação. Em muitos momentos, os pais não compreendem algumas atitudes dos filhos, e numa situação assim, o diálogo é um caminho fundamental para que exista maior participação e integração com os filhos.
Existem várias formas de diálogo, inclusive, muitas vezes, o silêncio é uma forma de expressão significativa, que deve ser respeitada e compreendida. Em outros momentos, longas conversas descontraídas podem revelar ideias, e as emoções podem fluir naturalmente. A comunicação implica em saber ouvir, perceber e compreender as várias maneiras de expressão de uma pessoa.

A afirmativa de que o diálogo deve se fazer presente entre pais e filhos é recorrente, mas isso não se resume em reclamações, repreensões e cobranças quando os filhos se comportam mal. Dialogar vai muito além disso. É importante que os pais manifestem interesse no que os filhos fazem e falam para que não seja criado um abismo entre eles.

A comunicação familiar é fundamental para que os filhos desenvolvam a habilidade de se comunicarem em outras situações, principalmente nas futuras, como na profissão ou nas relações afetivas e sociais. É também importante para a própria saúde emocional dos familiares que convivem juntos e passam por tantos momentos particulares. A comunicação, ou a falta dela, acaba afetando a dinâmica interna do lar. É através da comunicação que os sentimentos e opiniões podem fluir livremente, propiciando um relacionamento mais intimo e verdadeiro.

Num relacionamento entre pais e filhos é importante que ocorram essas interações, e mais importante do que isso, é que elas sejam de qualidade:

- Preste atenção à linguagem corporal da criança: tristeza, irritação, felicidade são aparentes. Pergunte o motivo do comportamento, deixe ela falar o que aconteceu, o que está sentindo e procurem resolver a situação juntos.

- Se seu filho se comportou de maneira adequada, valorize isso, mostre pra ele que você percebeu, por menor que seja esse bom comportamento. Elogios sempre motivam as crianças.

- Demonstre interesse pela vida de seu filho, pergunte o que faz na escola, quem são seus amigos, o que aconteceu durante seu dia.

- Sabemos que a vida é corrida, e muitas vezes não temos tempo ou disposição para conversas, mas é preciso aproveitar as oportunidades e os mais breves momentos para dar atenção aos pequenos.

- Num momento de nervosismo, por exemplo, não é incomum ouvir gritos e xingamentos. Contudo, pedir desculpas pelo excesso é importante para que as crianças aprendam que errar é humano, e reconhecer o erro para se redimir é algo de extremo valor.

- Não espere que seus filhos tenham comportamentos, pensamentos ou vontades que sempre estejam dentro das suas expectativas. Respeite as escolhas que os façam felizes.

E então, que tal conversar com seu filho?

VOLTAR